Sábado, 28 de Abril de 2007

Desmistificar Lingua Gestual como universal

Existirá apenas uma Língua Gestual comum a todos os Surdos?

Não!

A Língua faz parte da especificidade cultural de cada grupo e contribui simultaneamente para essa mesma especificidade, assim, de país para país a língua e a cultura terão características singulares. Podemos então referir que tal como um Português utiliza a Língua Portuguesa, um Inglês utiliza a Língua Inglesa, os Surdos de país para país utilizam uma Língua Gestual referente à sua nacionalidade.

Neste sentido, temos uma identidade e cultura Surda Portuguesa e uma Língua Gestual Portuguesa, assim, à semelhança dos ouvintes, os surdos também têm a sua própria Língua referente à cultura que representam. Como refere Oliver Sacks "nós somos a nossa Língua"

Video: Alfabeto A.S.L
Língua: American Sign Language ( Língua Gestual Americana)
Fonte: Youtube (corolofsign)

 

 

 

Video: Alfabeto Libras

Língua: Libras (Lingua Gestual Brasileira)

Fonte: Youtube (wolflupus)

Video: Colours Bsl
Língua: British Sign Language (Língua  Gestual Inglesa)
Fonte: Youtube (artfvision)

publicado por Leonel Ferreira às 20:55
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Sexta-feira, 23 de Março de 2007

Amor de Pai

Será a deficiencia uma barreira para completar uma das provas mais duras do mundo desportivo o "ironman"?

Dick Hoyt pensou que não e treinou até que um dia realizou umas das provas mais duras do mundo desportivo o "ironman", com o seu filho sempre  a seu lado.

A Historia começa com a participação da dupla numa prova de atletismo organizada pela escola de Rick, com o intuito de angariar fundos, a partir desse momento nunca mais ninguem os parou. Assim Dick hoyt  empurrou seu filho Rick oitenta e cinco vezes por 42 quilômetros em maratonas. Oitenta vezes ele não só empurrou seu filho os 42 quilômetros numa cadeira de rodas, mas também o rebocou por 4 quilômetros num barquinho enquanto nadava e pedalou 180 quilômetros com ele sentado num banco no volante da bicicleta -- tudo isso em um só dia.

Site desta dupla: http://www.teamhoyt.com/

Link do video: http://videos.sapo.pt/zD49DAwmYbl67no9kNdF


publicado por Leonel Ferreira às 22:34
link do post | comentar | favorito
Sábado, 10 de Março de 2007

ABC Gestual

 


publicado por Leonel Ferreira às 07:07
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2007

Como funciona o ouvido?

De uma forma sintética temos o nosso ouvido dividido em três partes, estas funcionam em uníssono para que a chegada do som ao nosso cérebro ocorra:

1º Ouvido externo – É constituído pelo pavilhão cuja função é captar e canalizar o som para o interior do canal auditivo.
2º Ouvido médio – É composto pelo martelo bigorna e estribo cuja a função consiste na recepção do som através de uma transformação mecânica.
3º Ouvido interno – È composto pela cóclea a qual é responsável pela transmissão do som ao nosso cérebro.
 
Passos envolvidos na audição
1.    As ondas sonoras são captadas pelo pavilhão auricular e são conduzidas pelo canal auditivo à membrana do tímpano.
2.    O tímpano transmite a vibração ao martelo, bigorna e estribo.
3.    A vibração do estribo faz vibrar a perilinfa na rampa vestibular.
4.     A vibração da perilinfa produz a vibração simultânea da membrana vestibular da endolinfa no canal da coclea.


publicado por Leonel Ferreira às 22:03
link do post | comentar | favorito

Sinais para a existência de um défice auditivo

- Expressão indiferente e aborrecida.
- Constantes pedidos para repetição.
- Consistentes erros na pronuncia de palavras.
- Virar um dos ouvidos para o falante.
- Distracções repetidas, quando a maioria das crianças estão centradas em actividades de carácter essencialmente oral.
- Problemas da voz (alterações de timbre, melodia e altura).
- Dores de ouvidos ou ouvidos que purgam.
- Expressão facial confusa e embaraçada e tendência para evitar as pessoas.
- Inexistência de resposta a perguntas feitas.

publicado por Leonel Ferreira às 22:02
link do post | comentar | favorito

Diferentes tipos de Surdez:

Surdez ligeira – perda auditiva de 20 a 40 db
- A palavra é ouvida, contudo certos elementos fonéticos escapam ao indivíduo.
- A este tipo de surdez não provoca atrasos na aquisição da linguagem.
-dificuldades em ouvir uma conversa normal.
 
Surdez média – perda auditiva 40 a 70 db
- A palavra só é ouvida a uma intensidade muito forte.
- Dificuldades na aquisição da linguagem.
- Perturbação da articulação da palavra e da linguagem.
- Dificuldades em falar ao telefone.
- Processo compensador por leitura labial.
 
Surdez severa - perda auditiva 70 a 90 db
- A palavra em tom normal não é percebida
- É necessário gritar para existir sensação auditiva.
- Perturbações diversas na voz e na fonética da palavra.
- Processo intenso de compensação de leitura labial.
 
Surdez profunda -  perda superior a 90 db
- Nenhuma sensação auditiva.
- Perturbações intensas na fala.
- Dificuldades intensas na aquisição da linguagem oral.
- Adquire facilmente Língua Gestual.
 
Cofósis - casos raros perdas superiores a 120 db

publicado por Leonel Ferreira às 22:01
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Um pouco sobre a evolução do papel do Intérprete de L.G.

Metzer (2000) indica quatro modelos de evolução do papel do intérprete:
 
§   "Helper" papel inicial e passado exercido essencialmente por ouvintes conhecedores L.G . (essencialmente familiares e amigos dos surdos).
§   "Conduit" papel primitivo da profissionalização do intérprete, assume competências primárias mecanizadas.
§   "Communication Facilitor" pressupõe um intérprete com formação académica preparado para uma realidade linguística diferente da sua.
§   "Bilingual, Bicultural specialist" modelo praticado hoje em dia, pressupõe profissionais qualificados que, para além das qualidades refinadas para o conhecimento de outra realidade linguística, se apresentam como conhecedores do paradigma da surdez como cultura. Em suma, são profissionais que dominam ambas as línguas (Língua Portuguesa e Língua Gestual Portuguesa) e ambas as culturas.
 
 Fernandes, Raquel e Carvalho, José (2005) «Intérprete de Língua Gestual Portuguesa, da formação à pratica real», in Orquídea Coelho coord .) Prescrutar e Escutar a Surdez, Porto: Edições Afrontamento, 139-151.

publicado por Leonel Ferreira às 22:00
link do post | comentar | favorito

A Língua Gestual na Escola e os seus intervenientes

Este Blog apresenta a Língua Gestual Portuguesa numa Escola  de Ensino Básico (ano lectivo 2006/2007). O Grupo U.A.A.S (Unidade de Apoio a Alunos com Surdez) principal impulsionador na dinamização dessas actividades, demonstra que o trabalho em equipa com Professores especializados na surdez, Formadores de L.G.P., Terapeutas da Fala e Interprete de L.G.P. consegue por vezes suplantar dificuldades inerentes à Surdez, promovendo melhorias na qualidade do ensino de Alunos Surdos, tornando possível  um futuro autónomo e promissor para cada surdo.

publicado por Leonel Ferreira às 21:58
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 2 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Desmistificar Lingua Gest...

. Amor de Pai

. ABC Gestual

. Como funciona o ouvido?

. Sinais para a existência ...

. Diferentes tipos de Surde...

. Um pouco sobre a evolução...

. A Língua Gestual na Escol...

.arquivos

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds